Nada acontece na vida dos servos de Deus por acaso

O texto de hoje é um pouco grande (perdão rs), mas é um conto escrito por mim há alguns anos e espero que possa edificar sua vida! =)

SE (104)

Nada acontece na vida dos servos de Deus por acaso. Joana sabia disso. E carregava essa verdade com tanta convicção no coração, que nada podia amedrontá-la. Adolescente, aos seus 16 anos, filha temente ao Senhor, impactando sua geração e vivendo pra Aquele que é o único digno de receber toda glória e adoração. Joana sabia que sua vida foi feita com um propósito específico e que tudo que acontece com ela, a menor coisinha que seja, não está fora dos planos de Deus.

Certo dia, ao sair do ensaio do teatro da igreja, Joana foi caminhando alegremente para casa. Naquele dia, ela teve de mudar um pouco o percurso, por ter que passar na casa de uma amiga. Ao seguir pela rua que não costumava andar, nem percebeu o quanto era vazia e deserta, pois curtia feliz uma música do Hillsong United em seu fone de ouvido.

Até que…sentiu sua boca sendo tapada por uma mão, que a prendia muito forte. Não sabia o que pensar no momento, não ouve tempo para reagir, tudo foi muito rápido. Quando deu por conta, estava sendo arrastada para uma casa que ficava próxima dali. Seu coração palpitava e as lágrimas já começavam a cair pelos olhos. Quando foi atirada com toda brutalidade ao chão da casa pra onde o homem a tinha levado, não soube o que pensar. Fechou os olhos, horrorizada pela truculência a qual foi tratada e naquele momento, lembrou-se de Jesus. Sim, ela lembrou que tinha um escudo. Ela lembrou de que Seu Deus morreu por ela e estava vivo, com ela naquele momento. Seus olhos se abriram, o homem que a agarrou estava lá, olhando pra ela.

– Vamos ver o quanto seu papai está disposto a dar por você.

– A vida – respondeu ela, sem pestanejar.

– A vida? Hum..isso não me interessa muito. Prefiro que seja o dinheiro.

– Mesmo que não te interesse… mas Ele já deu a vida por mim.

O sequestrador virou-se para ela, ainda com sua touca para proteger o rosto e sarcástico, disse:

– Larga de mentira garota! Seu pai é cheio da grana, eu sei. Ou você acha que eu sequestraria uma morta de fome?

– Não é desse pai que estou falando – Joana falava guiada pelo Espírito Santo e mesmo com medo, não deixava de falar o que Deus a mandava dizer – Falo de um Pai que mora no céu, mas que se fez de carne e osso e veio habitar entre nós, seres humanos, e morreu crucificado, para salvar a minha vida. Ele sim entregou tudo por mim.

– Garota, dá pra parar com esses papo de crente ai! eu não gosto disso não!

– Por quê?

– Ah, fica quieta!

O homem enfureceu-se e carregado de raiva correu para o lado em que Joana estava, mas na hora em que, com sua mão fechada, ia acertá-la, paralisou. Simplesmente parou. Joana já estava agachada, com as mãos sobre a cabeça, e ele parou. Seus olhos estavam vermelhos como fogo e antes que ele retornasse para o outro lado da sala, seus olhos encheram-se de lágrimas. Não, aquilo era mentira. Não existia Salvador nenhum. Ninguém tinha morrido por ninguém. Ela estava mentindo.

– Que palhaçada é essa? Deus não ama ninguém, não!

– Deus ama e muito. E a prova disso foi ter dado o Seu filho para morrer por nós, sendo ainda pecadores. Ele sofreu muito e morreu crucificado. Mas ao terceiro dia ressuscitou e por isso hoje exerce a maior autoridade sobre todos os seus filhos. Ele me ama muito e te ama também.

O homem não sabia o que dizer, e pra não acabar com todo o seu plano num acesso de raiva, saiu da sala e deixou Joana sozinha ali.

A menina não sabia muito bem o que havia acontecido. Ela conversou, debateu e falou do amor de Deus para o homem que a sequestrou! Ele no mínimo era uma pessoa muito má e ela teve a coragem de falar com ele, mesmo tendo noção do que aquilo podia resultar para ela. Mas naquele momento Jesus acalmou seu coração e assim ela ficou mais tranquila, sabendo que Cristo estava no controle da situação. Nada acontece na vida dos servos de Deus por acaso.

Mais tarde o homem voltou, dessa vez sem capuz e jogou um pacote de biscoito para Joana.

– Você deve tá com fome.

– Obrigada – disse ela, ainda amedrontada.

Passou-se uns minutos e Joana pode perceber o homem inquieto, passando a mão pelo rosto a todo momento e batendo o pé sem parar.

– Já devem ter sentido sua falta. Me fala o telefone.

Joana disse e naquele momento fez mais uma oração, ela sabia que seu pai não teria muito dinheiro a dar, pois estava com bastantes contas para pagar dos remédios de sua irmã mais nova, que estava adoecida. Mas Deus estava à frente. Nada acontece na vida dos servos de Deus por acaso.

Antes de discar o número, o homem sentou e seu nervosismo pareceu aumentar.

– Que homem é esse que vc disse que morreu?

Joana impressionou-se com a pergunta, mas logo respondeu:

– Jesus Cristo, o Filho de Deus.

O homem hesitou por um momento e então, começou a falar:

– Quando – parou por um instante – quando eu era adolescente eu ouvi falar desse Jesus aí..eu cheguei a frequentar uma igreja, mas as pessoas começaram a me discriminar porque eu fumava e bebia, porque eu usava brincos e tinha uma tatuagem. No começo eles me ajudaram, mas depois descobriram os meus vícios e me excluíram. Até que um dia eu estava tão desesperado e fui à igreja, pois sabia que aquele era o único lugar que teriam pessoas para me ajudar. Mas ao entrar ali eu percebi pessoas cochichando umas com as outras e olhando pra mim com olhar de desprezo. Até que escutei o que nunca queria ter escutado “Até quando esse cara vai continuar vindo aqui?” pela boca de um dos “irmãos” da igreja. Naquele momento me virei e fui embora. Aquele lugar não era pra mim. De lá pra cá minha vida virou uma amargura completa, eu não tenho família, sou um viciado, entrei pro crime e só não me suicidei porque..ah, sei lá porque.. me falta coragem.

– E se eu te disser que na Palavra desse mesmo Jesus que você ouviu falar há anos atrás, está escrito que o céu se alegra mais por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento? Ou seja, Deus está preocupado em te levar de volta novamente e não somente em cuidar dos filhos dEle que já estão achados. Ele te ama e vc não precisa olhar para os homens. Aqueles que julgam e não amam o próximo estão com os olhos tapados e precisam que Deus os resgate da escuridão assim como vc precisa que Ele o resgate dessa vida de tristezas.

Enquanto Joana falava, lágrimas escorriam pelo rosto do homem, que agora já não tinha mais aquela capa de brutalidade bandida, mas a face de um verdadeiro arrependido, triste, que não via mais solução na vida, mas que agora fora apresentado Àquele que é a única solução: Jesus.

– Como eu faço pra voltar pra Ele? – disse quase a soluçar.

– Reconhecendo em seu coração o senhorio dEle, reconhecendo que só Ele é o seu Senhor e Salvador. Vamos falar com Ele agora?

Ele se ajoelhou e Joana colocou as mãos sobre sua cabeça, e orou dizendo:

– Pai amado, venho neste momento te agradecer pela vida desse homem que reconheceu nesta noite o Teu senhorio. Ele sabe o quanto sua vida foi vivida sem sentido e sem alegria, mas agora nesse momento, oh Pai, ele está reconhecendo o Senhor e pedindo por misericórdia. Nesse momento os Céus estão em festa, porque a Tua palavra diz que os céus se alegrarão quando um pecador se arrepender e voltar aos Teus caminhos. Que o Senhor esteja restaurando a vida deste homem, que foi alcançado por seu amor hoje.

Após a oração, Luís repetiu com Joana outra oração e abriu as portas da sua vida pra Jesus Cristo entrar e habitar.

Ao ser liberta por ele, depois de diversos pedidos de perdão, Joana foi tomada por uma felicidade sem igual, pois sabia que todo o desespero que viveu naqueles momentos em cativeiro não se compararam ao presente que Deus deu a ela, de poder falar do Seu amor aquele homem e ver uma alma sendo entregue ao Senhor. Luís queria ir à delegacia, apesar do medo, se entregar. Joana disse para que ele esperasse, ligou para o seu pai e contou todo o acontecido. Ao chegar ao local, o pai de Joana estava um pouco desconfiado, mas Deus o deu discernimento espiritual para perceber que o que havia acontecido ali não era um simples arrependimento do sequestro, era o arrependimento de uma vida inteira longe do Pai, e agora, uma alma liberta pelo sangue do Senhor. Luís se entregou e na cadeia, recebia apoio do pai de Joana e de um grupo da igreja que eles frequentavam. Luís pagou o preço por seus anos de crime, mas também ganhou o maior presente que alguém pode receber: o amor de Cristo e Sua salvação e o amor dos irmãos, que cuidaram dEle e o discipularam com tanto carinho.

Joana pôde perceber mais uma vez com tudo isso, que nada na vida dos servos de Deus acontece por acaso. Que ao invés de se desesperar e perguntar “PORQUE DEUS???”, devemos nos colocar em submissão à vontade dEle e sermos usados (imagina se ela não tivesse ouvido a voz do Senhor e falado do Seu amor com toda autoridade ao homem que poderia tirar-lhe a vida?!), tendo sempre em mente que todos os caminhos dos filhos de Deus são observados atentamente por Ele.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s