{Resenha} Série Selena – Robin Jones Gunn

Algum tempo atrás escrevi um post aqui no blog falando sobre uma série de livros que conquistou meu coração: a Série Cris (leia aqui), escrita pela Robin Jones Gunn. Depois de ler os doze livros, procurei outras obras da autora e então descobri que a Robin tem um gosto especial por escrever longas séries. O interessante é que a maioria delas estão ligadas de alguma forma, há personagens comuns a todas. E é claro, que o ponto de partida é sempre a partir da primeira série, a da Cristina Miller.

Hoje vou falar um pouquinho da Série Selena, a que vem logo após a da Cris. É composta por também doze livros muito bem construídos em torno da adolescência de uma menina de espírito livre e belos cabelos cacheados chamada Selena.

Selena conheceu Cris e sua melhor amiga Katie, em uma viagem missionária para a Europa (que é onde se passa o último livro da série Cris) e na volta pra casa, no aeroporto, conhece um rapaz chamado Paul que vai perturba lhe o coração. Paul é filho de pastor, mas não leva a vida com Deus a sério e Selena não perde a oportunidade de falar a ele sobre Jesus. O interesse dela pelo menino dos olhos azuis cinzentos permeia toda a história e traz grandes surpresas e algumas decepções. Selena desembarca no estado do Oregon, nos Estados Unidos e vai para a casa da avó May: onde será seu novo lar. Ela morava no interior da Califórnia antes da viagem missionária, mas por conta das condições de saúde da avó que morava sozinha, toda a família se muda para a casa em estilo vitoriano construída pelo já falecido avô de Selena. A história inicia-se então, em torno da mudança de realidade, colégio e amizades de Selena.

Afinal largou o papel. Não lhe adiantaria nada ficar “sonhando” com Paul. Já fizera isso antes e só servira para deixá-la com uma profunda ansiedade que não poderia satisfazer. Não queria sentir isso de novo. Bem no fundo do coração, sabia que queria seu amor focalizasse em Deus, o único que poderia dar-lhe toda a satisfação que desejava. Não queria mais viver ao sabor das emoções, em que as fantasias e imaginação aniquilavam a realidade.

[Livro 10 – Vá em Frente, Selena!

 

Como era de se esperar, os livros são muito bem escritos e trazem inúmeros elementos preciosos, cheios de valores do Reino. Selena é uma adolescente cristã como qualquer outra, que tem dificuldades em ler a bíblia, se interessa por garotos, passa por conflitos nas amizades e tem de lidar com as dificuldades na escola. A personagem é muito sincera e totalmente cheia de opinião e independente mesmo aos 16 anos.

Assuntos como relacionamentos em família e com o sexo oposto, serviço a Deus, trabalho missionário, pregação do evangelho aos amigos próximos  permeiam a história.

Bom, apesar de ser uma ótima série e trazer reflexões fantásticas sobre a vida e tudo o mais, eu achei que a autora se demorou muito e no final, a história, pelo menos pra mim, ficou um pouco cansativa. É um enredo muito bom, mas que não considero melhor que a Série Cris. Porém, eu entendo que a autora teve um objetivo ao demorar-se tanto em alguns assuntos e na história em geral. Os livros são para edificação da galera adolescente, então ela foi trabalhando aos poucos e muito cuidadosamente nesses elementos e verdades bíblicas.

 

Você é como aquela flor amarela, destacando-se no meio de tudo, contrastando com tudo que é medíocre. Suas palavras são como um vibrante toque de clarim, num mundo cheio de vidas pálidas e espinhentas. E sabe o que mais? No dia em que a conheci, eu disse algo que agora vou repetir: não mude nunca, Selena!

Com carinho, Paul.

[Livro 11 – Mais Perto que Nunca]

Vale a pena ler e ser edificado pela escrita tranquila e envolvente da Robin Jones. Li em um blog que foi lançado o 13° livro da série Selena, mas não consegui encontra-lo na internet. Eu li todos os livros em PDF e já procurei para comprar, mas no Brasil ainda não foram republicados. As capas, como podem ver pela foto do post, são bem estilo anos 2000. Nos Estados unidos a série foi relançada recentemente, e aguardo ansiosamente o dia que os livros da Robin vão ganhar cara nova aqui no Brasil também! (e enfim, vou poder comprar os livros físicos!)

 

God Bless You!

Anúncios

{Resenha} Série Cris – Robin Jones Gunn

Já estava com saudades de escrever resenhas para o blog. Desde a última, já li alguns livros e parei pela metade, mas nesse tempo também conheci uma série maravilhosa: A Série Cris. Eu tenho os livros em PDF há algum tempo e até iniciei o primeiro livro, mas não continuei (outras histórias acabaram me chamando mais atenção). Quando então, decidi voltar a ler, não parei mais. A Série possui 12 livros e conta a história da adolescência de Cristina Miller, personagem principal.

Série-Cris (1)

Livro 1 Promessa de Verão / Livro 2 Segredos e Surpresas / Livro 3 Seu para Sempre /     Livro 4 Coisas do Coração / Livro 5 Ilha dos Sonhos / Livro 6 Um brilho de Esperança / Livro 7 Amigas pra Valer / Livro 8 Noite Estrelada / Livro 9 O amor pode esperar / Livro 10 Tempo de Amar / Livro 11 Coração Partido / Livro 12 Uma promessa é para sempre

Autora: Robin Jones Gunn

Editora: Betânia

Os livros foram escritos entre 1988 e 1994 e, portanto, tanto as capas quanto alguns detalhes da história nos remetem a esse tempo. O estilo de corte de cabelo e roupas descritos pela autora deixam bem claro o que estava em alta na adolescência da época. Nos Estados Unidos, país onde a história se passa e também onde a autora reside, já houve outras edições e revisões e as capas dos livros já estão mais “atualizadas”, se podemos assim dizer. Apesar de serem 12 livros, são todos curtinhos, estando o número de páginas por volta das 130 a 150.

O primeiro livro da série, Promessas de Verão, começa narrando as férias de Cris Miller, uma menina de 14 anos moradora do Wisconsin que é convidada por seus tios Marta e Bob para passar o verão na casa de praia deles em Newport, California. Cris é uma garota obediente aos pais e se veste da forma simples de uma menina do interior. Sua tia, que é o oposto dela e de sua mãe, uma mulher elegante, fina e rica tenta adequar Cris a sua forma de vida e por isso a menina acaba mudando o cabelo, as roupas, os lugares que ia… Mas não o coração. Com o incentivo de sua tia, sempre vai à praia, que é em frente à casa que está hospedada, para tentar fazer amigos e entre micos e vergonhas, ela acaba fazendo amizade com algumas pessoas que trarão inúmeros ensinamentos para sua vida. Dentre eles está o Ted, um surfista alto e loiro que rapidamente arrebata o coração de Cris. O que ela não esperava era o fato de Ted ser cristão e acabar lhe ensinando tantas coisas sobre Deus. Ela, que também era cristã, frequentadora de uma igreja pequenininha em sua cidade, começa a olhar Deus com outros olhos, para além da religião.

Cris passa a enxergar que precisa entregar a vida a Cristo e se arrepender dos seus pecados para ser salva. Com a influência dos amigos cristãos de Ted, que acabam tornando-se seus amigos também, ela se aproxima verdadeiramente de Deus. É claro que isso não impede a sua vontade de ser “vista” com outros olhos pelo Ted e suas tentativas para que isso acontecesse. Aos poucos, o que era apenas uma atração por Ted passa a se transformar em um gostar de verdade e o amor dela por ele perpassa toda a série em um misto de pureza e esperar em Deus.

Os livros seguem a ordem cronológica da adolescência de Cris, mostrando seus conflitos com a família, amigos, romances, escola, etc. Eu fiquei encantada com a maneira que a autora conduziu esses livros porque nunca tinha lido algo igual. Ela não coloca um enredo onde você lê ansiosamente para saber se no final o mocinho (ou a mocinha, no caso) se dará bem. Ela vai construindo e apresentando ao longo das histórias, assuntos centrais que permeiam a adolescência. Ficou claro para mim que o objetivo da autora era passar ensinamentos eternos e de maneira prática para os adolescentes cristãos. Ela trata de assuntos como fé, amor, salvação, serviço a Deus, namoro e tantos outros temas que apresentam ao leitor a essência de uma vida cristã genuína e o processo disso. E Robin não faz isso de forma superficial. A profundidade com que ela lida com esses assuntos, mas ao mesmo tempo de forma tão leve e natural faz com que ela seja uma autora excepcional.

Apesar de estar às portas dos 22 anos, me considero com um coração adolescente, hehe, o que se demonstra em meu desejo de trabalhar com essa faixa etária e cuidar deles. Gosto de ler esse tipo de livro até pra poder indicar pra galerinha lá da igreja e como eu gosto de escrever também para eles, é bom ler autores que fazem isso há bem mais tempo que eu. Ler essa série lembrou meus tempos de garota e também resgatou muitas coisas do céu em meu coração. Inclusive o post passado, sobre sermos intencionais (leia aqui), surgiu de reflexões que eu vinha fazendo ao ler esses livros. Deus trouxe-me a memoria lições importantes sobre amor a Ele e aos outros, serviço, chamado… Eu li os livros em PDF, mas tenho um desejo imenso de comprar a série completa e estou esperando um relançamento no Brasil para poder fazer isso, a fim de ter os livros com as capas atualizadas e tudo mais. E não tenho dúvidas de que esse é o tipo de série que vou fazer questão que minha sobrinha (que tem 3 aninhos) e minha futura filha(se Deus me conceder uma <3) leiam!

Então é isso galera,  foi muito bacana para mim escrever essa resenha, porque a história de Cris Miller tem com certeza um cantinho muito especial em meu coração.

{Dica de Filme} Uma Canção Para Ela

Sabe aquela tarde preguiçosa, em que um filminho acompanhado de brigadeiro cairia super bem? E se essa vontade vier acompanhada do desejo de assistir um filme cristão que vai edificar sua vida, tenho uma ótima dica para você!

poster

Uma Canção Para Ela (The Song) é um filme de romance, que conta a história do cantor Jed King (Alan Powell) com Rose Jordan (Ali Faulkner). Os dois se conhecem em um pequeno festival no vinhedo do pai de Rose, se interessam um pelo outro e a partir dali começam um bonito relacionamento.

28cc8-jed-and-rose

Cheios de amor e promessas, eles se casam. Jed compõem uma música para Rose, que se tornará o seu hit quando alcança o tão sonhado sucesso. Rose sempre apoiou o marido em busca de seus sonhos e eles viveram uma alegria muito grande quando ele consegue viver do que mais gosta: a música. Mas as escolhas de Jed levam-no para um caminho escuro e distante da presença de Deus (e cada vez mais de sua família).

O filme mostra com detalhes a vida do popstar e dá pra ter uma ideia de como esse mundo da fama é por trás das câmeras e dos grandes shows. O empresário de Jed organiza uma parceria entre ele e a também em ascensão, cantora Shelby Bale (Caitlin Nicol-Thomas). A fama trouxe a ele inúmeras tentações e oportunidades para negociar princípios e aos poucos Jed vai se adequando a uma vida de pecado e mentiras.

a4f2a-the-song-movie

No decorrer do filme nós percebemos que a trama faz alusão à história do Rei Davi e de seu filho Salomão. Durante todo o filme são citados versículos do livro de Provérbios, Cantares e Eclesiastes como pensamentos do personagem principal.

No começo eu até cheguei a pensar que não fosse tão legal assim, porque na minha opinião, o início foi um pouco “devagar”. Mas não me arrependi nenhum pouco de ter persistido em assistir. Não consegui encontrar o filme no Netflix, mas assisti em um site bem bacana e recomendo:

Assista Aqui (Gospel Filmes – The Song)

 

Bom, por hoje é isso! Espero que tenham gostado da dica e assistam. Que Deus os abençoe e até breve [=

 

 

{Resenha} A Ponte de Haven – Francine Rivers

A resenha de hoje é um tanto especial, porque essa leitura me marcou de uma forma diferente. Vamos falar sobre o livro “A Ponte de Haven” da autora Francine Rivers. Eu estou há tempos procurando por autores cristãos de qualidade, mas acabei encontrando a Francine por acaso. Mal li a sinopse e logo comprei A Ponte de Haven, e não me arrependo nenhum pouco!

Processed with VSCO with g3 preset

Título: A Ponte de Haven

Autora: Francine Rivers

Editora: Verus

Páginas: 432

Onde comprei: Site Saraiva por 22,90

Há um bom tempo eu não lia um livro tão bem construído, com uma história envolvente e equilibrada, e surpreendente do início ao fim! A história de Abra – a personagem principal – foi me conquistando aos poucos até chegar ao ponto que se tivesse um tempinho livre, já ia correndo me debruçar sobre as amarelas páginas de A Ponte de Haven. A autora disse em uma nota que a história do livro foi escrita baseada em Ezequiel 16. Li esse capítulo e entendi muito bem toda a profunda verdade e mensagem que ela desejou passar com a comovente narrativa sobre a vida de Abra.

O livro conta a história de uma menina que nasceu sobre dramáticas condições e fora abandonada logo depois. Apesar de todas as circunstâncias de seu nascimento e o local onde foi deixada indicarem que ela facilmente poderia morrer, a bebê foi encontrada. Deus direcionou um pastor que sempre fazia caminhadas na madrugada pela cidade, a seguir o caminho oposto ao da sua casa. Essa troca de percurso levou-o a Abra – nome que ele e a esposa vieram chamar a neném encontrada.

Abra cresce e situações inevitáveis acontecem, a  levando a ver e viver a vida de forma amargurada. A menina não consegue entender o amor de Deus por ela e sente-se o tempo todo rejeitada, como se o lugar em que vivesse não pertencesse a ela. As escolhas de Abra levam-na a uma vida totalmente longe da vontade de Deus, cheia de consequências dolorosas. No decorrer de sua história, ela acaba se tornando uma estrela ascendente em Hollywood, e apesar da vida “abundante” e de aparências que Lena Scott – seu nome artístico – vivia, quase ninguém sabia a tristeza que seu coração escondia.

 

A Ponte de Haven é uma linda história de redenção, amor e misericórdia de Deus. A forma como Francine Rivers construiu os personagens, a verdade que cada um carrega e os sentimentos dispensados em cada linha nos fazem facilmente identificar o enredo em certas partes, com algumas histórias verídicas que já vimos por aí.

Não posso deixar de citar personagens incríveis como Joshua e Mitzi. Joshua é filho do pastor Zeke (o mesmo que encontrou Abra), um homem que desde garoto buscava ser como Jesus e foi o grande amigo de Abra. Com palavras e ações carregadas de maturidade, amor e intimidade com Deus esse personagem irá conquistar seu coração! As risadas ficam por conta da Mitzi, uma senhora extravagante (e com o coração enorme) que dá aulas de piano e sobre a vida a personagem principal.

Algo que eu e meu marido achamos interessante no livro é que descreve bem a realidade de abnegação que os verdadeiros pastores vivem. A autora consegue descrever o dia a dia do pastor Zeke compatível com a realidade de muitas famílias de pastores (ligações na madrugada, renúncia da vontade própria em prol das ovelhas, cuidado pela igreja …).  O pastor Zeke é um personagem que reflete muito do caráter de Deus em todas as áreas da vida, apesar de suas falhas.

O livro é cheio de surpresas e assim como eu gostei de descobrir cada uma delas, chorar com algumas que eu não gostei de início (mas entendi posteriormente), rir e ficar ansiosa pelos desfechos, não vou falar mais para não acabar soltando algum spoiler, hehe.

E assim como diz em um trecho da sinopse: “Nesta envolvente saga sobre tentação, graça e amor incondicional, a autora nos brinda com uma narrativa de fôlego, que vai permanecer no seu coração muito além da última página”, eu fiquei com essa história na mente e sei que demorará a sair daqui. A Ponte de Haven ficará guardado como um dos melhores livros da minha vida, com certeza!

Alguns dos (muitos) quotes que eu amei no livro:

menina-ruiva - Copia - Copia - Copia

menina-ruiva - Copia - Copia

menina-ruiva - Copia

menina-ruiva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espero que essa resenha te impulsione a ler esse livro incrível e ser edificado assim como eu fui ; )

{Resenha} A Ovelha e o Dragão – Os escolhidos (Renata Martins)

Todo bom leitor tem um livro que marcou sua vida – ou vários. Comigo não é diferente, tem alguns livros que lembro exatamente o enredo, as cenas dos ambientes e situações que criei em minha mente ao ler, o que aprendi ou o que me fez ficar apaixonada pela trama, etc. E o livro da resenha de hoje é um desses, que vai ficar em minha memória por um bom tempo, e principalmente o que aprendi com ele. O livro se chama A Ovelha e o Dragão – Os escolhidos e é o primeiro de uma trilogia. Os outros dois são A Ovelha e o Dragão – A restauração e A Consumação.

Autora: Renata Martins

Editora: Danprewan

Páginas: 296

20160104_145129

O livro conta a história de Raquel e Cristiano. Ela, a filha de um pastor, ele, o filho de um satanista. Raquel nasceu em um berço cristão e aprendeu desde nova os valores do Reino de Deus. Aos 23 anos, nunca tinha beijado e esperava no Senhor um esposo. Seus pais mantinham com ela um relacionamento super saudável, de ensino do Senhor através de atos e palavras. No início até cheguei a pensar que talvez a maneira como ela pensava e vivia fosse algo produzido pelos pais, mas ao longo da leitura pude ver como eles não colocavam nenhum jugo sobre ela, muito pelo contrário, ela amava a Deus de verdade, era convertida. Raquel honrava os pais de uma forma muito linda e eu só pude pensar “Ai, como eu quero construir um relacionamento de amizade e sinceridade assim com meus filhos” quando eu os tiver, é claro, hehe.

A igreja que o pai dela liderava costumava seguir o modelo de relacionamento de corte para os jovens e foi nesses padrões que Raquel começou um compromisso com Filipe, o pastor auxiliar. Ela era cortejada por ele e eles noivariam dentro de alguns meses, mas é aí que Cristiano entra. Ele era filho de um importante e muito rico empresário e estavam iniciando um grande empreendimento imobiliário e para que tivessem êxito e prosperidade nesse negócio, seu pai o levou a ingressar na Igreja dos escolhidos, uma seita satânica. Como sua parte no pacto, Cristiano precisa destruir a igreja do pr. Carlos, pai de Raquel, pois através daquela igreja muitos estavam se convertendo e com isso a ação dessa seita estava sendo comprometida.

A maneira encontrada para que Cristiano destruísse a igreja, era destruindo a própria Raquel. Dessa forma, ele teria que conquistá-la e defraudá-la. E assim começa essa história de tirar o fôlego que me prendeu por longas horas. Li o livro em apenas 3 dias! A narrativa é feita pelas duas personagens, o que é muito bacana porque mata a curiosidade do que os dois pensam acerca das mesmas situações e passa as duas perspectivas da história.

 

Mas o que mais foi importante pra mim nessa leitura, não foi o romance de Cristiano e Raquel, e sim o que aprendi ao longo das quase trezentas páginas. Eu já vinha desde dezembro orando e crendo que o ano de 2016 seria diferente e meu desejo era me posicionar espiritualmente, buscar mais a Deus e cumprir o que Ele tem pra mim. Ao ler esse livro na última semana de 2015, pude ter meus olhos abertos para algumas coisas. Percebi que muitas vezes nós ou nossas igrejas estão sofrendo algum tipo de ataque espiritual e a gente nem se quer percebe! A maneira como a igreja de Raquel começou a se posicionar em oração e jejum me fez pensar em como eu tenho agido. Orei ao Senhor constrangida por perceber que o jejum não fazia mais parte da minha vida e de que aquela busca intensa precisava voltar. Percebi quanto é importante sermos servos de Deus que se dedicam a oração, que se colocam na brecha, que oram por suas igrejas e pelo povo de Deus como um todo. Não adianta reclamarmos dos problemas e assistirmos à queda de irmãos, pecados atrás de pecados dentro da casa do Senhor como se nós não tivéssemos nada a ver com isso. É preciso posicionamento espiritual, mais oração, jejum, leitura da Palavra.

Essa leitura, apesar de se tratar de uma ficção, foi usada por Deus pra me despertar em muitas coisas. Espero que assim seja com você também. A autora Renata Martins disse em um vídeo recentemente, que o intuito dessa trilogia é despertar jovens para a santidade e busca a Deus. O meu desejo é que isso ocorra com cada pessoa que colocar as mãos nesses livros.

 

Que Deus os abençoe =)

 

{Resenha} Uma herança de amor – quando o fim pode ser o começo (Lycia Barros)

Talvez você que já tenha lido algumas resenhas por aqui, perceba que a autora Lycia Barros está bem presente. O motivo é que eu comecei há pouco tempo fazer resenhas no blog e fiz somente dos livros que li desde então, e como foi justamente nessa época que conheci as obras de Lycia – e tenho lido uma atrás da outra – acaba tendo reflexo nas resenhas. Não resenhei todos os livros dela que li por aqui, mas o de hoje senti o desejo de compartilhar com vocês.

Livro: Uma Herança de Amor – quando o fim pode ser o começo

Autora: Lycia Barros

Editora: Novo Século

Páginas: 314

Comprei o livro no site Erdos, por $17, 34

20151208_150116

O Livro Uma herança de amor – quando o fim pode ser o começo, é o primeiro livro da trilogia Uma herança de amor. O livro é iniciado com um misterioso prólogo que estará presente em todo resto da história, especificamente na vida de Amanda – personagem principal – e em seu relacionamento com a mãe.

Amanda é uma menina de 23 anos que foi criada pela avó desde os cinco anos de idade. O pouco que sabe sobre seus pais teve consequências desastrosas em seu coração. A mãe era uma alcoólatra e o pai estava morto. Suas lembranças anteriores à mudança para a casa da avó não passam de lapsos de memória e imagens turvas de um triste acontecimento envolvendo seus pais. Por isso, ela foi uma adolescente muito rebelde e deu bastante trabalho para avó, com quem morava no Rio de Janeiro. Mas sua vó falece e no testamento havia algo que mudaria para sempre a vida de Amanda: Sandra colocou como condição para a apropriação da herança, que Amanda passasse 30 dias ao lado da mãe. Muito contrariada e chateada, Amanda seguiu para o pequeno município de São Lourenço – onde sua mãe vivia. Carregava muitas mágoas no coração e também medo do que encontraria; temia ver sua mãe jogava em alguma calçada bêbada, afinal, a única informação de que tinha era de que sua mãe era uma completa viciada em bebidas alcoólicas.

Mas ao conhecer sua mãe, levou uma tremenda surpresa: Janine estava recuperada, morando numa linda casa e havia construído uma bela família e tudo isso, longe dela. O reencontro das duas foi muito difícil porque Amanda sentia-se traída por uma mãe que a abandonara mesmo sendo tão aparentemente feliz. A jornada de Amanda passa ser então conhecer os segredos sobre sua família, dos quais ela sempre ansiou saber. E nesse tempo, ela sofreu muito com o coração magoado e sem nenhuma vontade de perdoar sua mãe.

Mas no meio desse turbulento reencontro, ela acaba conhecendo um mecânico meio bronco e ignorante que vai balançar com as estruturas do seu coração.

20151208_150204

O livro é uma linda história sobre o perdão e seu valor. Demonstra como as mágoas podem endurecer um coração, mas também o quanto o perdão pode amolece-lo. Achei a história muito rica porque, assim como todos os livros da Lycia, não aborda somente o romance em si, mas também algum assunto relevante sobre vida e relacionamentos, no caso o perdão. Os personagens como sempre, muito bem construídos e algo que me chamou a atenção é como a família de Janine é unida. Há muitos problemas, divergências e apuros, mas em tudo eles permanecem unidos, ainda que para chamarem a atenção uns dos outros, comentarem e viverem o que o outro está vivendo. Não é uma família alheia, onde cada um vive sua vida isoladamente do outro, mas sim pessoas que amam umas as outras e entendem que precisam umas das outras.

Os valores bíblicos são tratados em vários momentos entrelinhas, e apesar de Jesus e vida cristã serem elementos do livro, não são centrais. No livro a Bandeja, por exemplo, a história corre entorno de uma mensagem sobre a conversão da Angelina, já nesse livro e outros da autora, ficam em “segundo plano”. O romance tratado na história, por exemplo, não é construído em torno do Senhor, é bem voltado para os sentimentos e coração dos dois, apesar de Amanda ser recém-convertida e o mecânico ir à igreja.

Mas apesar disso, o livro traz grandes ensinamentos e lições, além de grandes surpresas. E uma delas é uma menina de 9 anos chamada IVy suuuper fofa, que provavelmente também conquistará você ao longo da leitura.

Bom, por hoje é isso. Abraço a todos e que Deus abençoe.

{Resenha} Perdido sem Você (Lycia Barros)

Oi gente! Boa tarde. O texto de hoje é mais uma resenha, dessa vez do livro “Perdido sem Você” da Lycia Barros. Esse livro é o terceiro da série Despertar, o primeiro livro é “A Bandeja” (você pode ler a resenha dele aqui) e o segundo é o “Entre a Mente e o Coração”. O interessante dessa série, é que os livros não são uma sequência contada por Angelina (a protagonista do primeiro livro), o segundo livro é narrado por Rico (o professor de Angelina) e o terceiro por Dante (quem leu A Bandeja vai saber muito bem quem ele é, hehe). São meio que continuações do primeiro livro, mas não da história de Angelina em si. Personagens secundários passam a ser os principais e vice-versa nas histórias dos três livros.

anuncio livr 2o-500x500

Livro: Perdido sem Você

Autora: Lycia Barros

Páginas: 250

Se você não leu o livro A Bandeja então é melhor não ler a resenha, pois contem informações importantes que podem fazer você descobrir coisas antes da hora e “estragar” a leitura e as surpresas do primeiro livro, rs.

Bom, então vamos lá. Perdido sem Você conta sobre a vida de Dante, aquele menino super de Deus, amigo de infância da Angelina e que começou a namorá-la no fim do primeiro livro. Já em A Bandeja a autora fala sobre a banda de Dante, que aos poucos começa a fazer sucesso. Nesse livro, a banda já havia estourado e eles estavam conquistando muitas coisas. Mas Dante começou a se “perder” nesse processo todo, a rotina de uma banda famosa, os shows, as fãs… tudo isso começou a afastá-lo de Deus. E a banda, que inicialmente era para aproximar as pessoas de Deus e levá-las a adoração, estava, aos poucos, se afastando do objetivo inicial.

-Mas eu toco por prazer, mesmo quando toco para o público.

-Pensei que tocasse para Deus.

Assim que ele fala, sinto várias flechadas vindo em direção ao meu peito.

A atenção de Dante também fica muito presa nas redes sociais, o que o faz perder muito o foco (pouco parecido com os jovens de hoje né, haha). E em meio a isso tudo, ele namora Angelina e continua apaixonado por ela, o que não o livra de passar por algumas tentações. Ele nutre por um tempo um segredo de Angelina e em meio a todo caos que a vida dele começa a se tornar, Dante conhece um senhor oleiro, que é de certa forma bem misterioso e o faz pensar sobre muitas coisas em que está vivendo.

CAPA-Perdido-sem-você
“Fora isso, reconheço a mim mesmo como um adorador, e um homem de Deus não pode tocar o coração dEle se estiver vivendo em pecado voluntário. Como eu poderia ministrar louvor para outras pessoas? Somos vistos como referencia para os jovens cristãos, e não quero viver uma vida de falsidade. Preciso dar o exemplo.”

Eu adorei o livro. Não é muito grande e quando terminou fiquei com aquele gostinho de “quero mais”. A leitura me abençoou muito, a autora usa várias passagens e valores bíblicos no decorrer da história e é empolgante ver pessoas que se preocupam em, através de sua criatividade, espalhar valores eternos.  É de leitura fácil e cheia de detalhes, como é característico da autora.

Li o livro pelo Wattpad, que é um aplicativo de livros e histórias. A autora disponibilizou grátis, se você quiser ler, aqui está o link: Perdido Sem Você – Wattpad

Obrigada e se tiver dicas de livros cristãos, é só comentar aí embaixo =D

{Resenha} A Bandeja – Qual pecado te seduz? (Lycia Barros)

Oi gente! Boa tarde. Hoje apresento aqui a segunda resenha do blog, de um livro bem bacana que me prendeu a atenção nas idas e vindas da faculdade essa semana. Li o livro em quatro dias! Estava com saudades de ler histórias que prendem tanto. Há uns dois anos atrás estava na casa da minha dama-amiga-linda-de-Jesus, a Bia. Ela, assim como eu, adooora ler e vi em meio aos seus livros, um intitulado: “A Bandeja – Qual pecado te seduz?”. Perguntei a ela sobre o que era o livro, mas não me interessei muito. Semana passada me deparei com ele outra vez em meus arquivos e decidi lê-lo, sem muita expectativa. Mas depois que comecei a me envolver na história, já era, não desgrudei mais do livro! Hehe. Mas então vamos ao que importa: A Resenha!

A_bandeja_loja

Livro: A Bandeja – Qual pecado te seduz?

Autora: Lycia Barros

Editora: Arqueiro

Páginas: 240

O livro conta a história de uma típica menina recém-independente (ela havia há pouco feito 18 anos), de cidade do interior, que passa numa universidade pública e vai embora de casa para uma grande cidade estudar. No caso, Rio de Janeiro. O nome dela é Angelina e tem pais super atenciosos e comprometidos com Deus. Em meio à tensão dos pais e o sonho dela sendo realizado, recebe apoio e passa a morar numa república. Nesse momento do livro até me identifiquei, lembrando da minha época de república no Rio também, rs. Angelina foi criada dentro dos valores cristãos, indo à Igreja e tendo pais que a ensinavam no Caminho.

 – Sempre que estiver em dúvida se deveria ou não estar em algum lugar, peça ao Espírito Santo a sua presença naquele instante. Se não puder senti-lO, ali não é lugar para você estar.

Mas ela ainda vivia na fé de seus pais, não havia tido um encontro com Jesus. Seu desejo era ser independente, mas não na fé, naquele momento, mas dos seus pais e das regras, poder fazer o que desejasse fazer. Logo no primeiro dia na universidade, conheceu seu professor, chamado Alderico e a partir daí a vida de Angelina muda completamente. Ela se apaixona por ele e aos poucos, começa a abandonar seus valores.

Despertar-A-Bandeja-Lycia-Barros-
A aula prosseguiu normalmente, mas parecia que nunca ia acabar. Eu estava louca para ficar a sós com o meu professor preferido de novo. Diferentemente da primeira vez, Rico caminhava por entre as carteiras enquanto falava, fazendo os alunos rirem de vez em quando. Não sei se ele tinha ideia de como era encantador. Cada movimento seu dava uma foto, de tão perfeito que era. Em certo momento, passou pela minha mesa – seu calor me queimando a centímetros de distância – e deixou cair um pequeno papel, sem que ninguém visse. Meu estômago embrulhou de nervoso e me senti como se fosse uma criança no quinto ano. Seria realmente para mim? Procurei-o com o olhar para confirmar se era, de fato, para eu abrir. Mas meu lindo professor me ignorou, continuando a dissertar. Impaciente, abri imediatamente o papel no meu colo. Estava escrito: “Meu anjo, te devo um jantar.” Quase caí da cadeira. Aquilo não era real. O deus grego da faculdade estava mesmo me dando mole.

É uma história envolvente, e o mais importante: traz valores eternos. No decorrer da história podemos perceber vários ensinamentos bíblicos, sobre a luta da carne x espírito, comunhão com Deus, perdão, espera, consequências de pecado… Acho que não convém falar sobre outros personagens, porque o legal é descobri-los ao longo da leitura. A autora, Lycia Barros, surpreende de várias formas com um enredo bem construído e cheio de surpresas. É um livro ótimo para entendermos um pouco sobre como nossas escolhas tem peso muito grande em nossas vidas, especialmente no mundo espiritual. Nossas escolhas se diferenciam muito quando estamos longe ou perto de Deus.

Quem vive de acordo com a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja.” Rm 8.5

Acho que esse versículo tem tudo a ver com os ensinamentos impressos nesse livro! E ah, uma novidade maravilhosa, vai ser lançado um filme desse livro! Do mesmo produtor de Metanóia. Eba! Mal vejo a hora (:

Logo logo tem a resenha do segundo livro da série Despertares, do qual A Bandeja é o primeiro!

Beijos, que Deus os abençoe!!

{1° Resenha} – Só Para Noivas (e todas que sonham com o casamento)

Oi galera! Estou bem animada e feliz, pois hoje inicio outro espaço aqui no blog, onde vou falar um pouquinho sobre os livros que li/tenho lido e com isso compartilhar algumas dicas de leitura. Eu a-a-amo ler e esse amor nasceu na 6° série, quando uma professora de português me emprestou um livro muito bacana chamado Amigos Secretos, da autora Ana Maria Machado. Deu pra perceber o quanto esse livro me marcou, né? Lembro o nome e até a capa do livro está bem fresquinha em minha memória, hehe. Minha adolescência então foi marcada por esse amor à leitura que me fazia estar sempre na biblioteca da escola e pedindo em todo conselho de classe que a escola adquirisse novos livros! Haha. Quando aos 16 anos conheci Jesus verdadeiramente, descobri um outro lado do mundo dos livros, me apaixonei pela Bíblia e também pela literatura cristã, que tem MUITA coisa boa!

Mas então vamos ao que interessa: A Resenha de hoje! Vou falar sobre um livro que li recentemente, o “Só para Noivas – e todas que sonham com o casamento”.

DSC_0019

Autora: Eveline Ventura

Editora: CPAD

Páginas: 144

DSC_0020
“Ai, ai, suspiros e coraçõezinhos no ar…Casar é muito bom! Deus realmente estava muito inspirado no dia em que criou a família. Bastou fazer Adão cochilar para que sua companheira Eva viesse à existência. Hoje não é diferente! Assim como no Princípio, ter alguém para partilhar nossas alegrias e tristezas é fundamental, mas nem tudo são flores. Depois do “sim” algumas diferenças vêm à tona. Com a convivência, os conflitos aparecem e muitas noivas têm de enfrentar a frustração. A Boa notícia é que nem tudo está perdido e os problemas, que não contribuem para maturidade a dois, podem ser evitados. Se você está solteira ou já a caminho do altar, não perca mais tempo. Só para Noivas é leitura indispensável para qualquer menina que sonha com seu Grande Dia. E então? Está realmente pronta para dizer o tão sonhado ‘SIM’?”

Eu li esse livro numa época bem oportuna em minha vida, já que estou casada há dois meses e meio e o li um pouquinho antes do casamento. Ele foi muito importante e acrescentou bastante no tratamento a algumas dificuldades inerentes a esse momento tão lindo, mas tão delicado, que é a preparação para o casamento. O livro não é muito grande, mas consegue sintetizar bem vários assuntos com a leveza e sinceridade necessárias. A autora tem o cuidado de não impor nada, mas com bastante humor e simplicidade ela expõe valores bíblicos sobre o noivado e casamento, e como lidar em diversas situações, além de contar várias histórias reais (em minha opinião, isso faz com o que o autor está falando ganhe forma e estabeleça proximidade entre o leitor e o que está sendo ensinado – sempre acredito no poder do exemplo).

Ela trata de assuntos como as tentações no noivado, como lidar com o dinheiro, sobre os limites à família após o casamento, intimidade do casal, submissão… Outro aspecto bem legal do livro é que ela mescla os conselhos para as noivinhas, com informações e dicas sobre tipos de noivado, festa de casamento, vestido de noiva, etc. A Eveline diz no livro que seu objetivo inicial era escrever tipo um “guia” para as noivas, com assuntos como buffet, festa, organização do casamento e outras dicas. Mas Deus foi ministrando a ela e o livro saiu com o foco muito mais de cuidar do lado espiritual das noivas e aspirantes ao altar, sem abandonar as dicas, é claro.

DSC_0023

A época do noivado é bem marcante na vida de qualquer mulher. Um passo muito importante foi tomado e o casal passa a se planejar para o tão sonhado Grande Dia, mas nem só de romantismo vive um casal. E quando nos preparamos para o noivado e casamento, tudo fica mais fácil. Saber algumas coisas antes de viver determinadas situações, é bom para que saibamos como agir. O bacana, noivinhas, ao lerem esse livro, é compartilhar com os noivos sobre o que está lendo. Por mais que seja um livro dedicado ao público feminino, muitos assuntos tratados devem ser aprendidos pelo casal. Eu compartilhava quase tudo o que lia com o Hugo (meu esposo), hehe. Foi um momento de aprendizado muito bom!

Então pessoal, chegamos ao fim de nossa primeira resenha. Espero ter acrescentado de alguma forma através da dica de hoje, apesar de ter sido voltada mais pra um público específico. Que Deus os abençoe!