Com os olhos de Deus

 “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento”. (Provérbios 3.5)

image

– Filha, hoje nós vamos comprar os seus óculos. Não podemos mais adiar. Você está com muitas dificuldades para acompanhar os deveres escolares. Finalmente conseguimos o dinheiro para comprá-lo!

– Puxa, pai! Que legal!

Caminhando pelo centro mais movimentado da região, pai e filha avistam uma ótica… O que o pai não esperava é que próximo a essa mesma loja também havia uma linda e atrativa loja de brinquedos…

– Pai, lembra que eu te falei sobre uma “maquininha de fazer sorvete” que eu vi no comercial da TV??? Então, olha ela ali!!! (A criança muito empolgada parece que esqueceu o que realmente foi comprar).

– Filha, é linda, mas… Vamos lá comprar os seus óculos?- Disse o pai.

– Ah, paizinho, então… É… Eu quero tanto essa máquina!!!

– Não, filha… Eu gostaria de comprá-la pra você também, porém, eu não tenho dinheiro para comprar as duas coisas e, sem dúvida, os seus óculos serão muito mais proveitosos.

A criança segue o caminho decepcionada, sem levar em consideração a importância dos óculos para ela…

_______________________________________________________________

Na ilustração acima temos um ponto chave a ser compreendido: A VISÃO DO FILHO X A VISÃO DO PAI! Para a criança, um desapontamento. Para o pai, um benefício! Quando me refiro à ‘visão’ estou questionando o ponto de vista de cada um. O filho não enxergou além do ocorrido. Já o pai prosseguiu em dar o que era bom a quem ele amava mesmo percebendo o seu desaponto. Pensando no comportamento da criança, eu pergunto: Podemos comparar com o nosso comportamento quando nos encontramos num contexto semelhante? Bom, você pode responder para si mesmo, mas eu acredito que a sua resposta será a mesma que a minha: Absolutamente positiva!

Em face de um cenário tenebroso, nos limitamos a enxergar somente o que a própria condição em que nos encontramos permite! E o que não consideramos é a Soberania de Deus quando estamos em tal situação. Diante disso, eu só consigo me lembrar do nosso Pai celeste! Todas as coisas são dEle! Tudo vem dEle! Tudo é para Ele! Acho que eu poderia parar por aqui, mas o que eu preciso enfatizar é a nossa posição defronte ao problema e como temos olhado para os problemas que nos sobrevém. Você já parou para pensar como seria enxergarmos com os olhos do nosso Deus? A visão de Deus no que se refere às circunstâncias da vida certamente é diferente da nossa! É loucura nos apoiarmos em nossa própria compreensão. A condição adversa nos leva a desesperançar, justamente por nos encurvarmos perante o nosso entendimento limitado.

Enxergando com os olhos do Senhor seríamos levados a confiar, visto que é o próprio Deus quem tem o controle de toda a situação. Às vezes eu fico imaginando quais seriam os pensamentos do Pai a meu respeito, principalmente quando me encontro em dias turbulentos! E acho que essa deve ser a nossa ‘preocupação’… O que Deus tem pensado de nós? Deus espera que tomemos uma posição de plena confiança e que nossas vidas sejam fundamentadas em Sua palavra, que é a nossa regra de fé e prática. A palavra do Senhor é muito clara em provérbios 3.5: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento”. O nosso entendimento não nos permite olhar além da dificuldade. Por isso, os nossos olhares devem estar voltados para Cristo, atentos a absorver o que Ele tem a nos ensinar nos dias mais difíceis. Ao fixarmos a nossa atenção no Senhor Jesus será gerada a esperança que só Ele pode nos oferecer. Esse Pai que zela é o mesmo Pai que exorta e permite. Ele tece o nosso caráter a fim de nos proporcionar uma vida plena ao Seu lado. Não devemos nos orientar segundo o nosso próprio querer, mas nos guiarmos segundo o bem querer desse Pai de amor que nos ama incondicionalmente. Devemos entender que nada foge do comando do Senhor! Daí em diante, iremos encarar os embaraços da vida como uma ocasião favorável ao nosso crescimento e amadurecimento.

Deus conhece as nossas limitações, mas nos encoraja a sedimentarmos os nossos temores em Suas mãos. A preocupação e a inquietação derivam da falta de confiança, afastando-nos da vontade de Cristo que é sempre boa e agradável. E onde há ausência de confiança, há também amargura e desolação. Podemos experimentar o favor de Deus até mesmo na tribulação e provarmos do Seu poder em meio à guerra. A nossa oração deve ser para que o Senhor nos possibilite entender os seus propósitos em nossas vidas, que nos ensine a confiar na Sua Soberana vontade e a esperar por Sua doce providência. “Mas os que esperam no Senhor, renovarão as suas forças, subirão com asas como águias, correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão” (Isaías 40:31). Com Ele está o domínio! Com Ele está tudo aquilo que precisamos para seguirmos triunfantes em meio à batalha e compreendermos os Seus planos para cada um de nós!

Anúncios