Quando o Rei não quer adoração

Num país muito, muito distante e há muito, muito tempo atrás, houve um povo que amava muito seu rei. Ele era um bom rei, talvez o melhor de todos os tempos, e eles eram um povo muito bom e que tinha muito potencial. O rei tinha muitos planos para seu povo e pediu que eles fizessem algumas coisas. No início, todos do reino estavam empolgados e fizeram tudo que o rei pediu, mas depois de um tempo eles cansaram de fazer o que o rei pediu porque não viram muitos resultados e descobriram outras coisas que eles acharam melhores e que podiam ser feitas em nome do rei. Ao invés de trabalhar ou ir para a escola, eles dançaram e fizeram cânticos. O tema sempre era o mesmo; tudo era sobre o rei. Como eles amavam seu rei. Não tinha cânticos suficientes para cantar sobre seu rei. Nunca era demais cantar sobre ele.

Um dia o rei estava passeando no seu reino e, por onde ele olhava, via pessoas dançando e cantando sobre ele. O rei achou legal no início, até ver a bagunça que seu reino tinha se tornado. Nada estava no lugar certo e nada estava sendo feito do jeito que ele tinha pedido. E quando ele desceu do seu cavalo, ao invés de se prostrarem diante dele e beijar seu anel, as pessoas começaram a puxar suas mãos pedindo que ele dançasse com eles. Ele puxou suas mãos de volta e, irritado, foi à direção do seu castelo com uma promessa, que nunca ia voltar para aquele povo que não fez o que ele pediu e não tratava ele como rei, mas como uma pessoa qualquer. E, além disso, ele ia mandar uns dos seus soldados para ensinar a eles o que é reverência e obediência. Mas o povo não sabia nada disso, pois quando o rei saiu, eles não entenderam por que ele não ficou. Será que ele não gostou dos seus cânticos? Será que ele não gosta de dançar?

 E bem aí nós nos achamos hoje em dia na igreja. Uma igreja “apaixonada” pelo Rei, mas que não faz nada do que ele pede. “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os aguardar todas as coisas que vos tenho ordenado”. Uma igreja que vive na prática do pecado e não vê perigo lá, “Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”, mas não param de cantar. Uma igreja que é mais amiga do mundo hoje do que ontem. “Gente infiel! Será que vocês não sabem que ser amigo do mundo é ser inimigo de Deus? Quem quiser ser amigo do mundo se torna inimigo de Deus”.

 “Mas, nós temos nossa adoração íntima e isso resolve tudo”.

Meu amigo, Deus não está interessado em nossa adoração enquanto nós não obedecemos a Sua palavra. Deus não está interessado em nossos cânticos de paixão por Ele enquanto vivemos transando com os nossos amantes desse mundo.

“Grite alto, não se contenha! Levante a voz como trombeta. Anuncie ao meu povo a rebelião dele, e à comunidade de Jacó, os seus pecados. Pois dia a dia me procuram; parecem desejosos de conhecer os meus caminhos, como se fosse uma nação que faz o que é direito e que não abandonou os mandamentos do seu Deus.”   Isaías 58: 1 e 2a

 

Texto de Jeff Fromholz

Anúncios

Qual é a sua identidade? #parte2

tumblr_mcdx7fvtN01rilyuto1_1280

            No texto anterior (clique aqui para ler) falamos um pouco sobre o que é identidade e como aquele que serve a Jesus tem sua identidade definida como filho de Deus. E se a definição que citamos fala que a identidade é a consciência que o indivíduo tem de si mesmo, dentro do mundo em que vive, isso significa que nós precisamos saber quem somos para vivermos uma vida de propósito. Como servos do Senhor, devemos saber quem somos em Cristo e qual nossa função nessa terra. Como filhos de Deus e novas criaturas, o que já fomos não importa mais, ficou para trás, pois renascemos espiritualmente (Jo 1.12-13).

De criatura passamos a filhos e como filhos devemos obediência ao nosso Pai. E se aqueles que são filhos de Deus são guiados pelo espirito de Deus (Rm 8.14), nossas vidas devem estar em plena submissão ao Senhor, o controle de nós mesmos deve estar com Ele.

“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.” Gálatas 2:20

Entenda que a partir do momento que você foi salvo, sua vida não pertence mais a você. Ela é dEle agora. Na verdade sempre foi. E existe um padrão de como Ele quer que você viva. Para glória dEle é o principal sentido e também para ser carta dEle aqui. Deus poderia ter te levado assim que você recebeu Jesus, mas Ele te deixou aqui porque tem coisas para você aprender e tem pessoas precisando ser salvas; Se não houvesse nenhum filho de Deus, como os que não são conheceriam a Deus? Nós temos uma função bem especifica que Cristo nos deixou:

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,
ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei.”
Mateus 28:18-20

Isso não é sobre nossa capacidade e sim em como podemos ser instrumentos de Deus nessa terra. Já ouvi muitos falarem que todo cristão tem dois grandes propósitos/chamados e eu acredito muito nisso:

O primeiro é o chamado universal, que consiste em anunciar o evangelho realizando a Grande Comissão (Mt 28.18-20), o segundo é o chamado individual, que é a forma como você realizará o primeiro. Pregar o evangelho não é dom, é ordenança. Em Marcos 16.15 Jesus diz “Ide” e não “Se quiser, vá”, Ele nos impeliu uma ordem. Então se somos cristãos, devemos pregar e discipular como estilo de vida.

Dentro do chamado individual existem os ministérios e funções específicas que Deus quer que a gente exerça. Ele nos criou com dons e talentos e estes não são para serem usados em nossos deleites ou para deixarmos enterrados. Ele nos chama para usar e desenvolver o que Ele nos deu. Nossos dons e aquilo pelo qual o coração queima, dão indícios de qual área específica Deus tem pra nós. E cara, cumprir o chamado Dele nos dá vigor! Quando andamos sabendo quem somos, descobrimos que o trabalho ou faculdade ou colégio não são só lugares para ganharmos dinheiro e/ou estudarmos, e sim, locais para realizarmos o chamado dEle pra nós! Porque entender que fomos projetados por Deus muda todo curso de nossa existência. Repetindo uma frase do primeiro texto, mas que resume bem o que falamos até aqui: Viva uma vida extraordinária. E vida extraordinária não é fazer grandes coisas e sim, fazer aquilo que foi chamado pra fazer.

Há um propósito para sua vida, salvo. Há um propósito para seus dias aqui, servo. Não viva como se não tivesse.

{Resenha} A Ponte de Haven – Francine Rivers

A resenha de hoje é um tanto especial, porque essa leitura me marcou de uma forma diferente. Vamos falar sobre o livro “A Ponte de Haven” da autora Francine Rivers. Eu estou há tempos procurando por autores cristãos de qualidade, mas acabei encontrando a Francine por acaso. Mal li a sinopse e logo comprei A Ponte de Haven, e não me arrependo nenhum pouco!

Processed with VSCO with g3 preset

Título: A Ponte de Haven

Autora: Francine Rivers

Editora: Verus

Páginas: 432

Onde comprei: Site Saraiva por 22,90

Há um bom tempo eu não lia um livro tão bem construído, com uma história envolvente e equilibrada, e surpreendente do início ao fim! A história de Abra – a personagem principal – foi me conquistando aos poucos até chegar ao ponto que se tivesse um tempinho livre, já ia correndo me debruçar sobre as amarelas páginas de A Ponte de Haven. A autora disse em uma nota que a história do livro foi escrita baseada em Ezequiel 16. Li esse capítulo e entendi muito bem toda a profunda verdade e mensagem que ela desejou passar com a comovente narrativa sobre a vida de Abra.

O livro conta a história de uma menina que nasceu sobre dramáticas condições e fora abandonada logo depois. Apesar de todas as circunstâncias de seu nascimento e o local onde foi deixada indicarem que ela facilmente poderia morrer, a bebê foi encontrada. Deus direcionou um pastor que sempre fazia caminhadas na madrugada pela cidade, a seguir o caminho oposto ao da sua casa. Essa troca de percurso levou-o a Abra – nome que ele e a esposa vieram chamar a neném encontrada.

Abra cresce e situações inevitáveis acontecem, a  levando a ver e viver a vida de forma amargurada. A menina não consegue entender o amor de Deus por ela e sente-se o tempo todo rejeitada, como se o lugar em que vivesse não pertencesse a ela. As escolhas de Abra levam-na a uma vida totalmente longe da vontade de Deus, cheia de consequências dolorosas. No decorrer de sua história, ela acaba se tornando uma estrela ascendente em Hollywood, e apesar da vida “abundante” e de aparências que Lena Scott – seu nome artístico – vivia, quase ninguém sabia a tristeza que seu coração escondia.

 

A Ponte de Haven é uma linda história de redenção, amor e misericórdia de Deus. A forma como Francine Rivers construiu os personagens, a verdade que cada um carrega e os sentimentos dispensados em cada linha nos fazem facilmente identificar o enredo em certas partes, com algumas histórias verídicas que já vimos por aí.

Não posso deixar de citar personagens incríveis como Joshua e Mitzi. Joshua é filho do pastor Zeke (o mesmo que encontrou Abra), um homem que desde garoto buscava ser como Jesus e foi o grande amigo de Abra. Com palavras e ações carregadas de maturidade, amor e intimidade com Deus esse personagem irá conquistar seu coração! As risadas ficam por conta da Mitzi, uma senhora extravagante (e com o coração enorme) que dá aulas de piano e sobre a vida a personagem principal.

Algo que eu e meu marido achamos interessante no livro é que descreve bem a realidade de abnegação que os verdadeiros pastores vivem. A autora consegue descrever o dia a dia do pastor Zeke compatível com a realidade de muitas famílias de pastores (ligações na madrugada, renúncia da vontade própria em prol das ovelhas, cuidado pela igreja …).  O pastor Zeke é um personagem que reflete muito do caráter de Deus em todas as áreas da vida, apesar de suas falhas.

O livro é cheio de surpresas e assim como eu gostei de descobrir cada uma delas, chorar com algumas que eu não gostei de início (mas entendi posteriormente), rir e ficar ansiosa pelos desfechos, não vou falar mais para não acabar soltando algum spoiler, hehe.

E assim como diz em um trecho da sinopse: “Nesta envolvente saga sobre tentação, graça e amor incondicional, a autora nos brinda com uma narrativa de fôlego, que vai permanecer no seu coração muito além da última página”, eu fiquei com essa história na mente e sei que demorará a sair daqui. A Ponte de Haven ficará guardado como um dos melhores livros da minha vida, com certeza!

Alguns dos (muitos) quotes que eu amei no livro:

menina-ruiva - Copia - Copia - Copia

menina-ruiva - Copia - Copia

menina-ruiva - Copia

menina-ruiva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espero que essa resenha te impulsione a ler esse livro incrível e ser edificado assim como eu fui ; )

PH POEM A WEEK | Toque

Meus olhos passeavam por seu rosto. Eles vasculhavam cada detalhe e se deliciavam ao observar a beleza de suas sardinhas e o sinal que ela tinha sobre os lábios. Como seus cílios eram grandes, mas ao mesmo tempo delicados, assim como sua fina e discreta sobrancelha. Tudo nela era delicadamente coeso. Seus olhos cor de mel sempre traziam consigo brilho e vida e perder-me neles era o que eu mais gostava de fazer.

Ela sorriu e as covinhas apareceram. Meu coração saltitou no peito. O que ela estaria pensando? Devíamos estar ali há uns cinco minutos, mas parecia uma eternidade. Não tocava nenhuma música no parque aquela tarde, mas o canto dos pássaros era a mais bela trilha sonora que poderia embalar aquele momento. Após quatro meses, minha mente e coração tinham certeza: era ela. Com seus cabelos longos, 1,55 de altura e coração do tamanho do mundo, era ela que eu queria para a vida toda.

Foram quatro meses orando, buscando, pedindo a Deus respostas. Meu maior medo sempre fora escolher errado e decepcionar Deus com minhas ações. Esse também era o maior medo dela. Unimos nossos medos e ousamos descobrir se poderíamos ser – juntos – um motivo de sorriso para Ele.

Eu descobri que sim. E não, Ele não me deu uma visão, profecia, sonho ou qualquer coisa parecida. Ele veio suave como a brisa, me fazendo enxergar que nossos propósitos eram iguais e os motivos pelos quais acordamos todos os dias também: Glorificá-Lo. Nesses quatro meses notei que ela podia ser ainda mais bonita quando observada por dentro. Seu sorriso iluminava todos à sua volta, e eu entendi o motivo de tanto amor, compaixão e entrega em uma pessoa só: Jesus. Ela era intimamente amiga dEle e ter certeza disso me fez pensar que quando a beleza exterior se for, o amor não irá junto.

E agora eu estava ali, diante dela, com o coração dividido entre felicidade e apreensão: será que ela observou o mesmo que eu? Será que ela encontrou tudo isso também em mim? Ela bem sabia tudo que se passava em meu coração. Minhas intenções, eu já tinha revelado, e o momento que mais ansiei nos últimos dias chegou. Meus olhos perdiam-se nos dela, quando percebi seus lábios abrirem-se levemente e deles saírem a melodia que fez meu coração soltar fogos de artifício:

– Sim.

Simples, rápido e estrondoso para meus ouvidos.

– Eu aceito namorar com você.

Não contive o riso ao observar seus olhinhos diminuírem-se à medida que seu sorriso também se abria. Não sabia muito bem o que fazer, então com as mãos trêmulas e suando frio, aproximei-me um pouco mais e levei meus dedos suave e pausadamente e peguei a sua mão. Seu rosto rosou-se ao primeiro toque e não posso dizer que eu também não tenha ficado com o rosto corado. Nós nunca tocamos um no outro nesse tempo. Abraço, beijo, mãos dadas… nada disso. Nosso relacionamento dali pra frente também não incluía beijos, mas agora eu podia entrelaçar meus dedos nos dela e fazer como naquele momento: passear pelo parque com a minha namorada e futura esposa.

Meu coração nunca esquecerá aquele primeiro tocar de mãos e entrelaçar de dedos, nem muito menos o sentimento de gratidão que invadia minha alma por completo naquela tarde. Somente me restou dar uma piscadinha para o Alto e me deixar ser envolvido com a certeza de que valeu a pena esperar.

acessorios-para-template-32-cu

Esse texto faz parte do projeto PH Poem a week (Um poema por semana), em que todo mês são lançados temas semanais para criação de textos/crônicas/poemas/contos. Você pode saber mais sobre o projeto Aqui e também conhecer o grupo que se reúne no facebook para compartilhar os escritos. O tema da primeira semana de fevereiro é “Toque”.

Enjoy! (;

 

 

Acompanhe nossas redes sociais: Facebook | Instagram

 

Carta a um filho que cresceu

111

Sabe filho, não sei explicar muito bem o que senti no dia que fiz a descoberta mais incrível da minha vida: seu coraçãozinho batia dentro de mim! Lágrimas de alegria jorraram de meus olhos. Algumas de apreensão também, afinal eu era tão nova, tão sem experiência com a vida… Mas você chegou e foi o suficiente para que eu me tornasse uma leoa cheia de coragem de lutar por você. Algumas pessoas me falaram coisas indecentes, como tirar você de dentro de mim antes que crescesse. Era nova, pobre e nem tinha casado no papel. Uma vida realmente difícil, mas eu optei por você. Escolhi gerar você e desde o começo eu sabia: é menino! Não sei como e nem por que, eu só sentia.

Não posso dizer que sua gestação foi a das mais fáceis. Eu sofri um bocado com dores emocionais e físicas e acredito que a maior delas foi te ver nascer tão roxinho, pequenininho, quase sem respirar. Você nasceu muito doente, filho. Mas a luz que sua chegada trouxe em minha vida foi maior do que qualquer complicação em sua saúde. Te amei intensamente muito antes de você nascer e quando te vi em meus braços… era como se o mundo tivesse parado.

E desde aquele dia, meu amor somente aumentou. Eu podia deixar de comer para que você não ficasse com fome, quantas vezes não comprei roupas para mim para que você andasse bem vestido, quantas noites sem dormir quando você passava mal e descobri que dar a minha vida por você? Fichinha para uma mãe tão cheia de amor.

Mas então você cresceu. E que lindo rapaz se tornou, meu filho.  Sua presença me alegra e seu sorriso ilumina toda a casa. Mas eu não entendo porque você sorri tão pouco. Também não consigo pensar no motivo de você não gostar de conversar comigo. Eu sei que sou exigente e algumas vezes chata, mas faz parte da arte de ser mãe, não é? Sabe filho, às vezes fico pensando no que eu fiz de errado depois que você cresceu. Juro que pensei estar fazendo tudo da melhor forma. Mas então porque você me responde tão mal? Suas respostas ríspidas e curtas quebram o meu coração em quatro. Queria tanto que você me enxergasse como amiga e dividisse sua vida comigo, mas a cada vez que pergunto algo sobre sua vida você dispensa suas meias palavras cheias de descaso. Seus gritos. Suas palavras secas. Suas ignorâncias em formato de palavras.

Desculpe te escrever isso, filho, mas eu precisava te dizer que mãe tem coração e que ele fica amassado como uma folha de papel quando recebe o desprezo de quem gerou. E para não me estender mais, queria te dizer também que eu continuarei aqui, ansiosa pelo dia em que sentirei novamente aquele abraço longo, apertado e cheio de amor que eu costumava ganhar de um menininho banguela há dez anos atrás. E tomara que esse dia não demore a chegar, afinal, mãe não vive pra sempre.

 

“O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe”

– Provérbios 10:1 –

“Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.”

– Efésios 6:1-4 –

“Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe; ata-os perpetuamente ao teu coração, pendura-os ao pescoço. Quando caminhares, isso te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é lâmpada, e a instrução, luz; e as repreensões da disciplina são o caminho da vida”

– Provérbios 6:20-23 –

Esse conto foi inspirado na história de uma mãe que eu conheço e apesar de não ser mãe, sou filha e ao me colocar no lugar dela pensei em quantas são desonradas por aqueles que deveriam amá-las. Sei que todas as mães têm defeitos, a minha tem e a sua também. E certamente nossos filhos, quando tivermos, também enxergarão defeitos em nós, mas falhas não são impeditivos de amor. Nunca devem ser. Que a gente consiga aproveitar a companhia e o amor de quem Deus colocou no mundo pra cuidar de nós (mesmo depois de adultos) e honra-las não só porque é o primeiro mandamento com promessa, mas porque fazê-las feliz também faz Deus feliz. E a alegria do Senhor é nossa força, né?! Curta sua mãezinha, releve os defeitos dela e trate-a como uma mulher que, antes de qualquer coisa, merece muito respeito.

E um abraço cheio de beijinhos especialmente pra minha querida digna de honra, mamãe Marli! Amo você!

Uma Semana com o Salmo 119 #dia6

Para servir a Deus é preciso renúncia. Joana sabia disso e por isso mesmo resolveu ficar em casa aquela noite. Dali a dois meses ela completaria um ano de convertida e não podia estar mais alegre. Ela poderia cantar com muita propriedade um trecho de uma de suas músicas preferidas da Banda Resgate: “Hoje a morte do meu ego está fazendo aniversário”, e ôh, só ela sabe como foi difícil para esse ego morrer. Às vezes ele tenta ressurgir, mas ela não permite, porque aprendeu os caminhos da obediência a Deus. Assim como naquela noite. Suas amigas haviam lhe chamado para uma “festinha” com a galera da faculdade que começaria às 22:00h. Ela não pode esconder que ficou com uma certa vontade de ir, mas sabia que estar em um ambiente daquele poderia provocar alguma queda. “Aquele que está de pé, cuide-se para que não caia”, ela repetia esse versículo mentalmente. Havia aprendido, ao longo dos últimos dez meses, que precisava afastar os pés de todo caminho mau para permanecer pura. Talvez ir à uma festinha não haja nenhum mal. Mas ela se conhecia e sabia de suas fraquezas. Bebidas, cigarros, Gabriel… Sim, ele com certeza estaria lá. E já havia completado oito meses que ela tomou uma das decisões mais difíceis de sua vida: terminar um namoro de cinco anos com um homem que ela ainda amava. Doeu e doeu muito. Mas foi preciso. Gabriel não queria saber de Deus e começou a exigir dela a escolha entre amar a ele ou Jesus.

Ela escolheu Jesus.

Gabriel foi um dos “caminhos” mais difíceis do qual ela precisou se afastar, mas aprendeu a encontrar todas suas fontes no Senhor. Teve que reorganizar tudo em sua vida após seu novo nascimento e descobriu os leões que teria que matar dia após dias. Seu ego, suas mentiras, sua maneira de ver o mundo, suas vontades. Mas, próxima de Jesus, ela vinha obtendo sucesso e pela graça, crescendo e amadurecendo nEle.

Siga nosso Instagram: @blogquebrandobarreiras_

Curta nossa página no Facebook: Quebrando Barreiras

Uma Semana com o Salmo 119 #dia5

large (6)

Ao ler o Salmo 119:56 um súbito questionamento veio-me à mente: será que eu posso afirmar com tanta veemência que tenho obedecido ao Senhor como o salmista o fez?

Eu percebi que a maioria dos textos aqui dessa semana com o Salmo 119 me chamam para uma ação, uma atitude: Buscar ao Senhor. Sem busca-Lo, é impossível obedecê-Lo. A busca gera intimidade, e como obedecer a Alguém do qual eu nem sei quais são as vontades?  Alguém que eu nem busco conhecer?

A vida dos servos de Deus gira em torno da busca a Ele. Lembrei-me hoje de alguns versículos que não nos deixam dúvidas a respeito do desejo de Deus em se deixar ser encontrado por nós:

“Busquem o Senhor enquanto se pode achá-lo; clamem por ele enquanto está perto.” Isaías 55:6

“Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta.” Mateus 7:7

“Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.” Hebreus 11:6

Refletir nesses versículos traz uma paz imensa ao coração de que Deus não quer ficar longe de nós. Infelizmente, nós é que muitas vezes adoramos dar umas voltas longe dEle por aí. E quanto mais distantes, mais desobedientes nos tornamos. Ver a convicção do salmista ao dizer “Esta tem sido minha prática: obedecer aos teus preceitos”, fez-me pensar sobre minha vida e a maneira como a tenho conduzido e que todo cristão deveria ter essa convicção. E também a refletir que, se eu conhecer mais meu Deus, obedecê-lo desde as mínimas coisas se tornará mais comum em minha vida. Que nossa oração seja o verso 59, que diz

“ Refleti em meus caminhos e voltei os meus passos para os teus testemunhos”

God Bless You!!

Siga nosso Instagram: @blogquebrandobarreiras_

Curta nossa página no Facebook: Quebrando Barreiras

Uma Semana com o Salmo 119 #dia3

Oi gente! Eu comecei uma maratona de textos com um tema aqui no blog, #UmaSemanaComSalmo119. Mas devido às muitas atividades que fiz ultimamente acabei não conseguindo postar todos os dias e atrasei legal a nossa semana, que acabou se tornando mais longa do que 7 dias, hehe. Mas agora vou seguir firme até o sétimo dia e não hesite em voltar para ler os outros textos dessa pequena série. Então, vamos ao que interessa ;):

large (13)

A vida cristã é recheada de escolhas. Decisões estão na ordem do dia para o cristão. Escolher abdicar de coisas para estar mais perto de Deus, decidir busca-Lo com mais intensidade, escolher amar ao invés de aborrecer seus irmãos e por aí vai. Tudo gira em volta das escolhas. Entender isso mudou minha vida.  Em um momento onde o desânimo batia a porta com mais frequência ou quando a presença de Deus não era facilmente sentida, saber que posso Te-Lo independente de arrepios ou do meu animo, é libertador. Entender que basta eu escolher o caminho da fidelidade, o caminho da obediência para viver uma vida que agrade a Ele independente dos meus sentimentos é algo valioso! Eu decido seguir a Palavra, eu decido se vou  viver a vida que pedi a Deus ou a vida que Deus me pediu.  O Espírito Santo continua Seu trabalho após sermos salvos de nos convencer e aproximar de Deus, mas nós também somos responsáveis por uma vida piedosa de intimidade e serviço a Deus. Entenda que as escolhas valem muito e ajudam a determinar que tipo de cristãos somos.

Escolha o caminho da fidelidade. Existe um Deus que ainda que você falhe, permanece fiel (2 Tm 2.13)

Decida seguir as ordenanças dEle. Os Seus mandamentos não são pesados (1Jo 5.3)

Siga nosso Instagram: @blogquebrandobarreiras_

Curta nossa página no Facebook: Quebrando Barreiras

Uma Semana com o Salmo 119 #dia2

 

large (14)

Ao abrir a primeira gaveta, lá estava o livro grosso, de capa preta surrada e folhas amareladas pelo tempo. Sorriu com animação, pois naquela tarde teria tempo de sobra para se deleitar no que mais amava: a Palavra de Deus. Sentou-se no já preparado lugar; um lindo tapete felpudo circundado por grandes e largas almofadas coloridas. Dobrou os joelhos, encostou-se às almofadas e abriu o velhinho e amado livro. Enquanto retirava o marcador de páginas, era como se, metaforicamente, emanasse uma luz muito forte das páginas. Ao ler as confrontadoras e, ao mesmo tempo, libertadoras palavras da carta de Paulo aos Filipenses, seus olhinhos cor de mel brilhavam e seu coração parecia pequeno para tamanha gratidão. Ler, reler, ler de novo… ela adorava. E isso, porque sabia que aquelas palavras a aproximavam do Autor da Vida. Ali, ela sabia, podia aprender a como viver. Dali, era possível tirar forças pra agir da forma como seu Pai desejava. Seu coração se transformou em morada, decidiu ali guardar as palavras de seu Dono e descobriu algo maravilhosamente simples: fazendo isso, distanciava-se cada vez mais que a afastava dEle.

 

“Guardei no coração a tua palavra, para não pecar contra ti”

Salmo 119.11

Siga nosso Instagram: @blogquebrandobarreiras_

Curta nossa página no Facebook : Quebrando Barreiras

Uma Semana com o Salmo 119 #dia1

Olá queridos! Hoje venho com muita alegria iniciar uma semana um pouco diferente no blog. É o seguinte: nos próximos 7 dias (começando por hoje), postarei breves reflexões diariamente sobre algum verso do Salmo 119. E já vi que vai ser difícil, pois dentre os seus 176 versos, dá pra fazer reflexões para todos os dias do ano, rs. Postarei no Instagram com a hashtag #UmaSemanaComSalmo119, siga (@blogquebrandobarreiras_) e compartilhe! =D

tumblr_lofm9jFfd11qjt3dro1_500

“Como são felizes os que andam em caminhos irrepreensíveis, que vivem conforme a lei do SENHOR!” Sl 119.1

Sobre viver uma vida plena e feliz: andar em caminhos de obediência. Ser irrepreensível significa ter uma vida alinhada com o coração de Deus de tal forma, que por mais que as pessoas procurem, não encontrarão o que falar de nós. Seja no ato mais singelo, ou numa grande ação, agradar ao Senhor deve ser regra em nossos corações. Desde se preocupar em melhorar o dia de um desconhecido com um sorriso sincero até a escolha do curso na faculdade, devemos ser irrepreensíveis. Devemos fazer como a Palavra manda. Devemos fazer como o Senhor manda. Para viver de forma irrepreensível é necessário andar conforme a lei do Senhor. E não, não ouça seu coração. Ele pode te enganar(Jr  17.9). Viva sua vida nos parâmetros Daquele que te criou e então poderá provar como é feliz aquele que por isso escolhe (: